09/12/2009

Presépio de Natal do Projeto Arrastão

Hoje, 9 de dezembro, um dia frio de céu cinzento, e aquela garoinha chata, mas isso não derrubou o ânimo da galerinha do CCA para montar o Presépio do Projeto Arrastão, que por sinal está ficando lindo. Eu não sabia o que era o Presépio, conhecia somente por imagens e não pelo seu nome e sua história, por isso decidi procurar saber mais sobre ele e descobri tudo isso:

PRESÉPIO DE NATAL

Presépio

Presépio, em hebraico significa "a manjedoura dos animais", sendo também utilizada como sinônimo de estábulo. No Novo Testamento, São Lucas conta que Jesus ao nascer foi reclinado em uma manjedoura, como as muitas que existiam nas grutas da Palestina, utilizadas para recolher animais.
A representação do presépio foi introduzida no séc. XIII, por São Francisco de Assis, ao idealizar a primeira cidade italiana de Greccio. São Francisco montou o primeiro presépio, em tamanho natural, numa gruta da cidade. O que restou desse presépio encontra-se atualmente na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma. O hábito de manter o presépio nas salas dos lares com figuras de barro ou madeira difundiu-se por toda a Europa até chegar no Brasil.

A tradição popular acabou virando mania e se transformou em peça de decoração de árvores de Natal, mesmo em países tropicais como o Brasil.


Fonte: www2.portoalegre.rs.gov.br

A história do Presépio de Natal


Ao lado da árvore e dos presentes, o presépio é talvez uma das mais antigas formas de caracterização do Natal. A palavra presépio significa “um lugar onde se recolhe o gado; curral, estábulo”. Porém, esta é também a designação dada à representação artística do nascimento do Menino Jesus num estábulo.

Desde os finais do séc. III que os cristãos celebram a memória do nascimento de Jesus.
No entanto, a tradição do presépio na sua forma atual, tem as suas origens no século XVI. Antes desta época, o nascimento e a adoração ao Menino Jesus eram representadas de outro modo.
As primeiras imagens do que hoje conhecemos como presépio de Natal foram criadas em mosaicos no interior de igrejas e templos no século VI e, no século seguinte, a primeira réplica da gruta no Ocidente foi construída em Roma.

O início da tradição
Em 1223, São Francisco tentou reviver a ocasião do nascimento do Menino Jesus e festejou a véspera do Natal com os seus irmãos e cidadãos de Assis na floresta de Greccio.

São Francisco foi o responsável pela divulgação da idéia de criar figuras em barro que representassem o ambiente do nascimento de Jesus. Desde essa altura que a tradição do presépio natalino se difundiu pelo mundo criando um elo com a festa do Natal.

No século XVIII, a recriação da cena do nascimento de Jesus estava completamente inserida nas tradições de Nápoles e da Península Ibérica.

Neste mesmo século, vindo de Nápoles, o hábito de manter o presépio nas salas dos lares com figuras de barro ou madeira difundiu-se por toda a Europa. Hoje, nas igrejas e nos lares cristãos de todo o mundo são montados presépios para recordar o nascimento do Menino Jesus, com imagens de madeira, barro, prata, vidro, cristal ou plástico e em diversos tamanhos.

Atualmente, as tradições natalícias antigas como a árvore de natal, o Pai Natal, a ceia de natal, o presépio e as músicas natalinas dão forma à celebração do Natal em todo o mundo.

Fonte: http://www.pititi.com/

Texto e fotos por: Rafael Ambrosio

Postar um comentário