27/08/2008

PC Verde



Dicas para um PC verde. Retirado do site
http://playgreen.org/Wiki/HowToBuildAGreenPC

e

http://playgreen.org/Community/GoodPractices, e traduzido por Mateus Daitx.


Plataforma: eu aconselho a ficar com a AMD, tendo em vista que ela tem processadores de bom desempenho e baixo consumo, além de ser a única a contar com placas de vídeo integradas (o famoso "vídeo onboard") de bom desempenho, notadamente o AMD 780G e Nvidia 8200. Além do desempenho, esses chipsets tem um consumo menor que os equivalentes da Intel, e um bônus para quem precisa usar placas de vídeo dedicadas de alto desempenho (para renderizar, jogar, etc): se forem pareados com determinadas placas de vídeo da mesma marca (ATI/AMD ou Nvidia), eles tem uma tecnologia que desliga as placas externas quando a potência delas não é necessária, e usa apenas o vídeo nativo de baixo consumo. Na hora dos jogos ou do render, as placas dedicadas entram em ação. Sendo assim, algumas dicas de componentes abaixo.
Placa-Mãe: procurar modelos para plataforma AMD com socket AM2+ e que sejam geridas pelos chipsets já citados, AMD 780G/790GX ou Nvidia 8200. Placas que tenham capacitores sólidos são uma ótima escolha, já que aumentam em muito a vida útil deste componente, ou seja, menos lixo tecnológico sendo gerado no futuro. Afinal de contas, nem o Linux salva componente mal construído.



Processador: Athlon 64 X2 de ínicio "BE" ou final "e", como por exemplo BE-2300 ou 4850e. São modelos de baixo consumo (TDP de 45w) e ótimo desempenho para aplicações em geral, e podem ser comprados muito barato no mercado. Melhores que os Pentium Exxx e piores do que os Core2Duo em desempenho, mas em geral rápidos o suficiente pra tudo.
Memória: fique com modelos DDR2 de 800mhz, já que na plataforma Athlon não há porque se usar elas acima dessa velocidade, e eles já funcionam com voltagens baixas e consumo idem.



HDs: modelos que tenham um prato/disco só são melhores, pois tem menos peças móveis e portanto consumo menor do que os de 2 ou 4 pratos.


Fonte: aqui entram em cena as certificações, então direto busque uma com o "80 plus". Isso quer dizer que o rendimento da fonte é sempre superior a 80%, ou seja, a fonte gasta energia e gera calor quase igual ao que os componentes do computador estão pedindo. Fontes genéricas costumam ter rendimento abaixo de 50%, ou seja, pra alimentar um micro de 100W ela precisa gastar 200W em energia e calor. E do jeito que andam as contas de energia, pagar a mais por estas fontes não é custo, e sim "lucro", pois elas se pagam rapidinho com a economia de energia.
Placa de vídeo: se tiver mesmo que investir numa placa mais forte que os vídeos onboard da AMD/ATI e Nvidia, procure modelos da mesma marca da placa mãe e que suportem as tecnologias de desligamento das placas externa quando elas não estiverem sendo utlizadas. Na AMD/ATI se chama PowerXpress e na Nvidia Hybrid Power. Dá pra imaginar que deixar ligado uma placa de vídeo que consome 200W enquanto se responde os e-mails não é lá muito vantajoso, né?



Gabinete: é complicado dizer quem exatamente produz um gabinete em processos pouco nocivos ao meio ambiente. Se puder, fuja dos de alumínio, afinal de contas o gabinete vai ficar parado em cima da mesa, então pesar 5kg ou 10kg não faz muita diferença aqui, e a produção de alumínio consome muita energia, mas muita mesmo! Por outro lado, peso faz diferença no transporte, então a diferença entre um gabinete chinês e um brasileiro não está apenas na qualidade (e na mão de obra semi-escrava), e sim nas toneladas de óleo diesel gastas pra transportar eles da China pro Brasil. Um bom projeto térmico é essencial pra que tudo funcione bem e resfriado no microcomputador, aumentando a vida útil e diminuindo o consumo. Dica de gabinetes ótimos, baratos e feitos no Brasil: www.nilko.com.br



Monitores: aqui depende muito do uso que vai ser dado ao micro. Pra uso geral 17 polegadas é mais do que suficiente, mas os de 19" pode ser mais confortáveis para alguns trabalhos. Em termos de jogos, vale lembrar que LCDs tem uma resolução nativa, ou seja, fixa. Qualquer coisa diferente dela faz com que eles trabalhem com downscaling das imagens, ocasionando perdas de qualidade. Então, um monitor 22" com resolução 1920 x 1080 vai precisar de uma placa de vídeo, cpu e restante mais potentes pra rodar na resolução nativa dele. Então um 19" em 1440 x 900 te ajuda a economizar uns pilas em componentes e em energia.



Teclado/Mouse: aqui vai pela economia e conforto gerados pelos produtos. Um bom mouse e teclado te permite trabalhar/brincar as horas necessárias e não causa problemas de saúde que vão prejudicar a tua vida. Lembrando que a gente não trabalha diretamente com CPU/Memória/Placa de vídeo, nossas interfaces com o micro são o monitor, teclado, mouse e vez por outra caixas de som/fones de ouvido/microfones, então investir nessa área é investir em qualidade de vida.

Postar um comentário