16/09/2009

Tem que ler pro vestibular...

Faz teeeempo que não posto no blog! Fato. Não é bem uma desculpa, mas tenho me desdobrado pra terminar o Ensino Médio de boa.
É ano de vestibular e sabendo que não é fácil, acho que não vou entrar ano que vem na universidade.
Tuuudo bem, não vim falar de mim, mas é que pra Fuvest a gente tem que ler vários livros e confesso que literatura, se não for muito apreciada pelo leitor, acaba ficando chata (sendo sincera).

Um clássico da literatura brasileira que eu li e recomendo foi publicado em 1973. Capitães da Areia é o livro mais vendido de Jorge Amado e conta de forma poética uma história que retrata a vida de meninos de rua, que apesar da época, não é diferente dos dias atuais. Confesso que no início talvez você queira desistir de ler, mas eu te digo: Vá até o fim!

Jorge Amado


Capitães da Areia é um grupo de meninos abandonados que moram em um trapiche na "Cidade Alta" da Bahia. Eles já conhecem o sexo, roubam, estupram, mas, ainda sim, são crianças. Não têm e desejam o amor de mãe e o aconchego de uma família. Por isso, passam a ser sua própria família.



Entre eles há regras e lealdade. O líder do bando é Pedro Bala, filho de um ativista, todos o respeitam, é considerado um herói pelos seus companheiros; Professor é o único letrado na turma, rouba livros e faz arte; João Grande é amigo e forte; Vida Seca é afilhado de Lampião e sonha acompanhá-lo em suas chacinas; Gato, malandro, tem um caso com uma prostituta; Sem-Pernas ficou aleijado depois de apanhar da polícia certa vez e usa da deficiência para se infiltrar em casas de famílias ricas para roubá-las depois; Pirulito tem chamada religiosa e deseja ser padre, mas não sabe como fugir da vida de pecador que leva; Boa-Vida é sossegado e leva a vida de boa; Dora, após a morte de seus pais, conhece o bando e se torna a única menina no grupo e mostra aos meninos como é o amor de uma irmã e se torna o amor de um deles, noiva.

São personagens profundos e encantadores e o livro mostra o fim de cada um. Há um filme. Mas ainda sim, vale a pena viajar por essa história através da leitura.

Leiam! Não só porque têm que ler...

(Karol Coelho)
Postar um comentário