28/07/2009

Experiência no Trabalho

por: Patrícia Freire
Antes de começar a falar dessas duas semanas no meu trabalho, gostaria de contar algumas experiência anteriores no mercado de trabalho. (é rapidinho)
Como poucos sabem, comecei trabalhar aos 16 anos num escritório de contabilidade, minha função, estágiaria auxiliar de escrita fiscal.
Fiquei dois meses nesse emprego. Na parte prática gostava muito, pois tive a chance de aprender muito sobre leis, imposto e economia.

Mas, percebi que eu ,que sempre quis ser jornalista, não estava no lugar certo.
As pessoas, o meu chefe (prefiro nem comentar)
Ficar presa o dia todo num escritório, definitivamente, não era e não é a minha praia.

Ano passado trabalhei de novo como estagiária nas Americanas, a parte prática era horrível, muito trabalho, mas em compensação não ficava presa numa sala pequena rsrsrs
Tudo isso pra dizer que, quando sai do escritório em 2007, me senti mal, pois imaginava o mercado de trabalho um coisa oposta do que vivi dentro das empresas, nas quais trabalhei, no entanto, sair de lá me deu a chance de conhecer o Projeto Arrastão.
Nele, comecei a estudar jornalismo com o tony e conheci muitas pessoas legais. Não foi um curso como qualquer outro que ja fiz, foi louco, meio desorganizado, mas divertido.
Esse ano eu devia, sinceramente ter saído do Arrastão e procurado outro emprego para conciliar com a faculdade, mas o tony me veio com uma proposta que não pude dizer não.
A proposta??? simples: Aprender e mudar o mundo brincando.
Nas férias arrumei um free lancer(emprego temporário) e por esse motivo fiquei uma semana a mais(das férias)fora do maré.
O trabalho foi legal, mas fazer promoção de eventos é um pouco, digamos, robótico.
Mas o que posso falar desse free lancer foi que realmente gostei, ehhh ,por incrível que pareça foi muito legal, conheci pessoas novas, amigos novos em apenas duas semanas.

O sistema em que vivemos tenta nos fechar no mundo do trabalho, dos negócios, das obrigações, do dinheiro e do consumo, mas o fato é que somos humanos e não podemos ser completamente fechados, sempre abrimos brechas para o convívio social.

Passamos por muitas coisas, mas no fim, o que herdamos dessas experiências é o conhecimento que adquirimos e principalmente as amizades que fazemos.

Ah mas, quer saber mesmo a verdade? a melhor parte foi voltarrrrrrrrrrr


Tô de volta, vocês que me aturemmmmmm srsrsrsrs
Postar um comentário