01/10/2009

O Eterno Vigilante!

Postado por: Kenny Rogers
Email: kennyrogers_@hotmail.com
Olá Brasil, eu o repórter MSN estou aqui mais uma vez com mais uma entrevista.
Dessa vez o entrevistado é Ary Fernandes o diretor e criador do "Vigilante Rodoviário". Ary marcou história criando o seriado "Vigilante Rodoviário" o primeiro produzido no Brasil, mas não é só isso o nosso grande amigo não fez somente o Vigilante, mas também "Águias de Fogo" outra série de grande sucesso onde além de ser diretor também participou atuando sendo o Capitão César no esquadrão. No seu vasto currículo tem várias produções, peças teatrais, dublagens e direções cinematográficas. Conheça agora um pouco mais do nosso eterno vigilante do cinema brasileiro, neste bate papo muito amistoso.

Kenny Rogers: Ary Fernandes conte um pouco para nós como foi o inicio da sua carreira, o que te levou a entrar no meio do mundo artístico?
Ary Fernandes: Eu sempre gostei de fazer imitações. Meus amigos gostavam e diziam para eu tentar o rádio. Ingressei na Rádio América em 1949, onde fui locutor, radialista e radioator.
Como ator participei de peças teatrais, comerciais para televisão, 8 filmes de Longas-metragens e atuei em 26 episódios do seriado "ÁGUIAS DE FOGO" como "Capitão César" .
Dirigi e atuei como dublador em estúdios de som. Entre as minhas dublagens que considero mais marcante e que recebo muito carinho do público, cito o Rocko, na série de desenhos “A Vida Moderna de Rocko”
No campo da publicidade, realizei 231 comercias para televisão, onde fui o pioneiro nesta "nova" área na década de 60, como diretor e produtor.
Por fim, tenho mais de 130 filmes sob minha direção e produção, tanto em âmbito nacional como internacional.



K: O que lhe motivou a criar o Vigilante Rodoviário e o Águias de fogo?

A: Desde criança achava que faltava um herói tipicamente brasileiro. Só havia heróis com nomes estrangeiros e nenhum com características que nós brasileiros pudéssemos nos identificar. Com o passar dos anos e trabalhando no cinema, surgiu a oportunidade de criar o primeiro herói totalmente brasileiro.O Vigilante Rodoviário, nasceu deste meu antigo sonho.A escolha do personagem foi inspirado na simpatia que a população nutria pela Polícia Rodoviária, sendo que eu mesmo sempre fui um grande admirador.Após o estrondoso sucesso do Vigilante Rodoviário, fui procurado novamente pela Nestlé que já havia sido meu patrocinador naquela série.Eles acreditaram em mim mais uma vez e me pediram para criar uma segunda série para televisão.Desde a época do Vigilante até o Águias de Fogo, já haviam se passado alguns anos e eu estava com mais experiência neste campo de trabalho novo no Brasil dos anos 60.Como sempre fui apaixonado pela aviação, fato este que me levou a me brevetar em 1962, criei o esquadrão "Águias de Fogo", onde eu e mais outros 3 atores éramos os pilotos heróis desta nova série de aventuras.


K: Qual a importância dessas séries na sua vida particular?

A: Kenny, como sempre costumo dizer, minhas séries, minhas criações são para mim meus filhos que tanto me envaidecem e dão orgulho!


K: O Brasil não tinha produzido uma série até aquele momento, o que o senhor fez foi um marco. Ary o senhor teve algum medo no processo de criação? Pensou em desistir?

A: Não Kenny, no processo de criação aconteceu exatamente o contrário!Nunca tive medo de desafios, que, aliás, aumentam consideravelmente minha adrenalina. Como te disse, era algo que eu sonhava desde criança e sabia que aquele era o meu momento!
Agarrei a oportunidade de mostrar meu potencial com unhas e dentes.
Eu era jovem e cheio de idéias e uma vontade alucinante de concretizar meu sonho. O cinema, a TV, minha carreira, sempre foram minhas paixões. Desistir jamais!

K: Por que levar o Vigilante Rodoviário para o cinema?
A: Foi uma forma para aproveitar ainda mais o sucesso já consagrado da série. No cinema, o Vigilante também foi um grande sucesso de bilheteria.


K: Na sua opinião qual a importância das suas produções hoje para os jovens?
Hoje os jovens têm muito mais facilidades em produzir os seus vídeos, qual a dica que o senhor dá aos jovens de hoje?
A: Eu acredito que serviu como base, como incentivo para os jovens que ingressam na carreira artística nos dias de hoje.
Se naquele tempo, com recursos precários, um “jovem sonhador” acreditou que a nossa recém nascida televisão brasileira dos anos 60, seria capaz de ostentar o nome de nosso país como o 1º país da América Latina e 4º país no mundo a produzir filmes em película em série para televisão; os jovens de hoje com as leis de incentivo a cultura e com toda tecnologia a favor, podem e devem acreditar no potencial empreendedor deles e nunca, jamais desistirem de seus sonhos!


K: Você acha que nos dias de hoje é necessário à criação de um novo herói Brasileiro?
A: Claro Kenny!
Acredito que abri uma porta criando os primeiros. O brasileiro é muito criativo. Que venham os outros e que sejam muitos!


K: O que o senhor mudaria hoje no mundo?
A: O que me entristece Kenny, é ver milhões de pessoas passando fome no mundo, ver a violência desenfreada em que vivemos nos dias atuais. Se eu pudesse, se me fosse concedido um desejo, desejaria que fossem solucionados estes problemas.


K: Está faltando o que na juventude?
A: Sabe Kenny, acho preocupante ver como as drogas fazem parte da vida de muitos jovens. Acho que eles deveriam pensar duas vezes antes de entrem num caminho que na maioria das vezes, não tem volta!


K: O Vigilante Rodoviário irá voltar e por que?
A: Este era o meu sonho já há alguns anos. Eu e minha empresa PROCITEL – Produções Cine Televisão Ltda, viabilizamos este projeto através da parceria que selamos no de 2008 com o Canal Brasil/Globosat.
Desde de 09 de março de 2009, a versão original de 1961 voltou à televisão e está no ar pelo Canal Brasil todas as 2ªs as 20:30hs.
Continuamos com projeto para uma refilmagem da série e estamos sempre abertos para novos parceiros.


K: O senhor acabou de ter um problema sério de saúde o que isso influenciou na sua vida? O Ary Fernandes mudou?
A: Kenny, sempre após um grande “baque” em nossa vida, começamos a dar valores as pequenas coisas. Comigo não foi diferente!
Por exemplo, sempre fui um apaixonado por meu trabalho e vivia em uma rotina maluca de horários com tantos compromissos que muitas vezes adentravam as madrugadas e começavam no dia seguinte bem cedo.
Porém, minha idade cronológica conflitava com minha idade espiritual que não se dava conta que os anos haviam passado. Resultado forcei e acabei tendo um derrame.
Hoje aprendi a respeitar os meus limites.

K: Faça uma pergunta para os jovens que irão ler essa entrevista, algo que o senhor queira saber da nossa juventude?

Kenny, quero agradecer por esta entrevista e o carinho por meu trabalho.
Convido a todos a visitarem meus sites:
http://www.vigilanterodoviario.com/ ou http://www.vigilanterodoviario.com.br/
http://www.vigilanterodoviario.com/aryfernades/aryfernades
www.vigilanterodoviario.com/aguiasdefogo
http://www.vigilanterodoviario.com/vigilanterodoviario1978/vigilanterodoviario1978





Bom, aos jovens faço uma pergunta simples:
A: O que eles farão melhorar o futuro de nosso planeta?








Obs: É só responder nos comentários que as respostas eu mandarei pro Ary, favor deixar o contato também
Postar um comentário